controle de estoque para o Bloco K

O Bloco K é o livro de registro de controle da produção e do estoque e faz parte da informação do SPED Fiscal ICMS/IPI. O bloco K é responsável por escriturar todos os documentos fiscais e de uso interno da empresa, correspondendo às entradas e saídas de mercadorias. O controle de estoque para  bloco K é fundamental para que empresas e indústrias manterem suas obrigações fiscais em dia. 

 

Obrigatoriedade do Bloco K

Todas as indústrias brasileiras precisam entregar o Bloco K ao SPED fiscal. O SPED significa Sistema Público de escrituração digital. É a modernização para que as empresas cumpram suas obrigações e transmitam seus documentos aos órgãos fiscalizadores e administrações tributárias. 

O SPED é dividido em 5 grandes subconjuntos:

  • NF-e – nota fiscal eletrônica;
  • ECD – escrituração contábil digital;
  • EFD – escrituração fiscal digital;
  • NFS-e – nota fiscal de serviços eletrônica.
  • CT-e – conhecimento de transporte eletrônico;

 

O bloco K registra o controle de estoque e produção de forma digital. Com o bloco K, a Receita Federal tem o objetivo de reduzir a sonegação fiscal entre as indústrias, pois qualquer variação ou diferença nos inventários e estoques, vão atrair a fiscalização. Indústrias que não apresentarem o bloco K estão sujeitas as multas e demais sanções. 

 

Leia também: Como automatizar a coleta de dados do Bloco K

 

O Bloco K exige as seguintes informações referentes aos processos produtivos industriais:

  • Quantidade de material consumido;
  • Quantidade de peça produzida;
  • Controle do estoque contendo todos os produtos pronto, semiacabados e matéria-prima;
  • Movimentação interna de estoque que não está relacionada diretamente à produção;
  • Lista de todos os produtos fabricados, sendo produção própria ou de terceiros;
  • Cadastro de todas as pessoas jurídicas e físicas que tem envolvimento com a empresa;
  • Saldo de estoque.

 

Como será o controle de estoque para o Bloco K

Para o Fisco, o controle de estoque para o Bloco K deve respeitar a seguinte equação:

Estoque final = (Estoque inicial) + (Entradas por Documentos Fiscais) + (Produção Própria K230) + (Movimentação interna K220) + (Produção em Terceiros K250) – (Movimentação interna K220). – (Consumo na Produção Própria K235) – (Consumo na Produção em Terceiros K255) – (Saídas por Documentos Fiscais).

Todos os dados que fazem parte dessa equação fazem parte do SPED Fiscal ICMS/IPI. Dessa forma, se qualquer indústria realizar uma movimentação de estoque e não registrar no Bloco K, o estoque físico não estará de acordo com o informado, podendo causar sérios problemas a empresa. 

As indústrias devem analisar e planejar todo processo de gestão de produção, para se enquadrarem às exigências do Fisco. Para isso, elas precisam seguir os seguintes passos:

  1. Estudar todas as exigências do Bloco K;
  2. Fazer o mapeamento de todas as etapas de industrialização, estocagem e terceirização;
  3. Escolher o sistema que atende os requisitos do Bloco K;
  4. Contratar uma empresa especializada como a Sull Automação para ajudar sua indústria a entender todas as demandas do Bloco K;
  5. Treinar a equipe operacional e administrativa par que todos estejam aptos na realização dos registros de dados.
  6. Efetuar testes para confirmar se os dados coletados no sistema são correspondentes ao real.

 

O controle de estoque para o Bloco K já é uma realidade. Quer saber mais? Fale com nossos especialistas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *